sexta-feira, 15 de julho de 2011

Federal no caminho certo

Representantes do GT da FURB e do Comitê Pró-Federalização estão voltando, neste exato momento, ainda mais otimistas com apoios que receberam em Florianópolis.

Professor Clóvis Reis, coordenador do comitê e integrante do GT Institucional, informou que o grupo fez importante intervenção durante a audiência aberta do Plano Nacional de Educacão, hoje pela manhã, no Tribunal de Justiça, explicando a história do movimento que envolve todo Vale do Itajaí há dez anos, a construção dos documentos que serão entregues no MEC e a tramitação na Câmara Federal.

Mais que isso, os professores Clóvis, Giceli Cervi, Adriana Correa, Jorge Barbosa e o jornalista Leo Laps conversaram com o secretário-executivo do Ministério da Educação, Francisco das Chagas Fernandes.

Bastante receptivo, Fernandes disse que conhece o projeto de criação da Universidade Federal do Vale do Itajaí, que incorpora a FURB, e que tramita na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, após passar pelo Senado.

 "Não apenas conhece o projeto como demonstrou receptividade e otimismo diante da possibilidade de êxito da reivindicação", afirmou Reis, que explicou a consistência do projeto de viabilidade que será entregue, em breve, ao MEC, com apoio do INPEAU/UFSC.

Também no evento, os deputados federais Pedro Uczai e Esperidião Amin e o estadual Volnei Morastoni explicitaram amplo apoio público à criação da UFVI e federalização da FURB. Uczai, inclusive, disse que virá a Blumenau discutir a operacionalização desse apoio, após retornar de viagem a China.

Além disso, a própria presidente da Comissão de Educação, deputada federal Maria Fátima Bezerra, responsável pelo encontro, manifestou interesse em realizar audiência pública no Vale para debater a criação da federal do Vale do Itajaí.  

Para reler

Este trecho abaixo foi recortado da postagem de quarta-feira sobre o PNE, que não foi tão acessada como esperado:

(...) o professor Jorge Barbosa aproveitou o microfone e fez consistente discurso defendendo a luta da sociedade pela Universidade Federal do Vale, com a incorporação da FURB. Ao que foi ampla e categoricamente apoiado por Dilvo Ristoff (UFSC), o mesmo que ajudou a criar a Federal de Chapecó.

Ao se colocar à disposição do comitê, o veterano professor da UFSC disse que a “luta é difícil e vai exigir ampla mobilização popular". Citou a criação da Unipampa, obtida pela pressão de 20 mil pessoas na rua, diretamente com Lula, numa visita ao Rio Grande, mesmo sem apoio do petista Tarso Genro - que defendia uma extensão de federal já existente.

A fala de Barbosa rendeu, ainda, convite da assessora de Uczai ao Comitê para audiência aberta (e única no Estado) com o relator do PL 8035/10, o deputado federal paranaense Angelo Vanhoni. É nesta sexta-feira, dia 15, a partir das 8:30, no auditório do Tribunal de Justiça, em Florianópolis.

Os italianos e a FURB

Santa deu manchete de capa

e três páginas sobre a Festitália,

que começa hoje na Vila Germânica,

mostrando as tradições e inclusão

da FURB nesta história,

pelas palavras da professora

e historiadora Sueli Petry.

Protesto e oficinas

Grupo Teatro da Casa na escola Professora Zulma da Silva (Foto: Daniel Zimmermann/JSC)

Santa destaca oficinas do Fitub para professores e alunos nas escolas municipais, no caderno Lazer.

E na página 22 tem matéria do protesto de artistas que agitou Blumenau ontem, como amplamente antecipado pelo blog. Na contracapa principal, foto grande do apitaço contra a violência.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Federal anda na Câmara

O projeto de lei do Senado autorizando o governo a criar a Universidade Federal do Vale do Itajaí, incorporando a FURB, deu entrada, ontem, na Comissão de Educação da Câmara Federal.

O PL já foi aprovado pela Comissão de Trabalho da Câmara. Leia o parecer de Edinho Bez que acrescentou a emenda pela cessão temporária de servidores da FURB. 

Atores do FITUB acusam agressão policial


A rotina da Universidade foi quebrada por apitaço e gritos de ordem no megafone hoje, ao meio-dia. Revoltados, com as caras pintadas, atores que participam do Fitub (Festival Internacional de Teatro Universitário de Blumenau) ocuparam a passarela e penduraram faixas denunciando violenta e covarde agressão policial, além de racismo, contra um colega de Belo Horizonte, ontem de madrugada.  "PQP, ainda existe violência no Brasil", rimava um dos gritos.

A RBS TV já trouxe a denúncia em largo espaço, entrevistando atores e o comandante da PM, Cláudio Koglin, que instaurou inquérito policial devido a denúncia na Corregedoria. Koglin vai tomar os depoimentos dos policiais hoje à tarde e aguarda pelo exame. Ele lamentou que a câmera de segurança em frente ao posto não tenha registrado a ação "por estar com problema", como cobrado por Joelson dos Santos. O jornalista foi incisivo nas várias perguntas sobre a câmera e ação policial, que teria sido exagerada e teria provocado "rompimento de tímpano" do rapaz,  conhecido como Alexandre, que baixou hospital. Ele estaria inclusive impedido, por ordem médica, de usar avião para apresentar uma peça em BH de hoje a domingo, informaram seus colegas sobre a passarela.

Acusação rende inquérito na corregedoria

Os atores, na maioria estudantes universitários do Brasil e países vizinhos e que estão participando do 24o. FITUB, promovido pela FURB, informaram na televisão e ao blog, que a passeata começou no Teatro Carlos Gomes, onde se concentraram pela manhã, passando pelo IGP - rua São Paulo (corpo delito no estudante agredido) e na FURB.

Algumas testemunhas contaram que na ocasião estavam confraternizando em paz no posto em frente à prefeitura, por volta das 3 da manhã, quando chegou uma viatura da PM com dois policiais exigindo que o grupo de 60 pessoas dispersasse sob a alegação de algazarra. A confusão teria começado quando Alexandre, sob justificativa de aguardar um amigo que estava dentro da conveniência, teria pedido para esperá-lo e recebido como resposta de um policial um sonoro "vaza negão" e, depois, teria sido espancado ao insistir. 

A ação ocorreu por "iniciativa espontanea" dos policiais, admitiu o comandante.


                                      Fotos do Blog. Clique 1 OU 2 vezes sobre as imagens para ampliar.

Acompanhe, ainda, o blog do Santa sobre o protesto e a matéria sobre espetáculo de logo mais à noite, no Santa. Assista também o vídeo com a materia da RBS. Avance o cursor até 6minutos30segundos.

Vitória

Meninas vencem na Copa Brasil de Handebol.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Palco italiano


Na capa do Lazer do Santa: 24º. Fitub apresenta um retorno ao palco italiano.

Avante, ao norte

Crescimento é forte para o norte de Blumenau, mas exige estrutura, diz ao Santa o professor Nazareno Schmoeller. Jornal dedica capa e duas páginas ao tema. Blumenauenses vivem mais. 

Educadores querem 10% do PIB no PNE


                                                                          Foto de Leo Laps/Sinsepes
                                    

O debate público sobre o novo Plano Nacional de Educação (PNE II /2011-2020), praticamente lotou o teatro da Uniasselvi, ontem, em Blumenau. Educadores do Médio Vale, a grande maioria da educação básica, acompanharam as palestras e fizeram proposições buscando aprimorar o Projeto de Lei 8035/10 do Governo Federal, em tramitação no Congresso Nacional e que já recebeu mais de duas mil emendas.

A platéia e o blog acompanharam atentos, entre 9 e 17 horas, o grande volume de informações desfraldadas do projeto do MEC, que vem recebendo elogios e críticas nos seminários regionais onde passa. E nosso Estado não foge à regra.

Em meio às discussões sobre a realidade educacional brasileira, da educação infantil ao ensino superior (especialmente na faixa de 04 a 24 anos), duas questões se apresentaram como bandeiras dos educadores a serem levadas a um Congresso Nacional “historicamente descomprometido com a educação”: a defesa da sociedade para aumentar o investimento no PNE para 10% do PIB contra os 7% colocados como suficientes pelo MEC (R$ 61 bilhões, dentro de cálculo bem estranho, pois o PIB brasileiro é de R$ 3,3 trilhões), e necessidade de aprovação e sanção presidencial ainda em 2011.

Essa luta pela elevação do PIB na PNE é nacional. Basta acessar o Google para ver depoimentos como da “heroína nacional” Amanda Gurgel. A verdade é que os palestrantes não acreditam no alcance das 20 metas (com 170 estratégias), nos próximos dez anos, sem a efetiva priorização da educação no governo Dilma, que gerencia natural pressão por recursos dos demais ministérios. As metas do PNE II são ambiciosas, mas já se duvida do seu sucesso, até pela frustração com o PNE de 2001/2010 – que teve rejeitado 7% e ficou entre 2,9% e 5,7% nas gestões FHC (1996/2002) e Lula (2003-2010).

O presidente da Undime e secretário de Educação de Florianópolis, ex-reitor da UFSC Rodolfo Pinto da Luz, e o ex-reitor pró-tempore da UFFS e professor da UFSC, Dilvo Ristoff, foram as estrelas do seminário. Dominam como poucos o emaranhado de informações da educação brasileira e o jogo político (e de interesses) em Brasília. O deputado federal Pedro Uczai (titular da Comissão de Educação) gravou um vídeo, pregando o debate da sociedade para aprimorar o projeto construído pelo MEC, acusado algumas vezes por membros da mesa de não levar muito em consideração as proposições do Conae.

A FURB esteve representada por um grupo de professores e técnicos, que salvou a platéia de vexame maior quando a mesa questionou o número de docentes universitários das IES do Vale, importante fatia da educação brasileira que infelizmente não entendeu a importância do evento, assim como a imprensa, que negou espaço e mais debate.

Compuseram a mesa de abertura também os professores António Chivanga, (representando a FURB, discursando e justificando a ausência do reitor João Natel), Clóvis Reis (pelo Comitê Pró-Federalização) e o presidente do Sinsepes, Túlio Vidor. A professora Giceli Cervi, assessora da Proen, coordenou a mesa de trabalhos pela manhã.

Destaque ainda às presenças da diretora do CCE, Marilene Schramm, da professora Rita Buzzi (GT Federalização), do ex-reitor Egon Schramm e do professor Jorge Barbosa de Oliveira que aproveitou o microfone e fez consistente discurso defendendo a luta da sociedade pela Universidade Federal do Vale, com a incorporação da FURB. Ao que foi ampla e categoricamente apoiado por Dilvo Ristoff, o mesmo que ajudou a criar a Federal de Chapecó. Ao se colocar à disposição do comitê, o veterano professor da UFSC disse que a “luta é difícil e vai exigir ampla mobilização popular". Citou a criação da Unipampa, obtida pela pressão de 20 mil pessoas na rua, diretamente com Lula, numa visita ao Rio Grande, mesmo sem apoio do petista Tarso Genro - que defendia uma extensão de federal já existente.

A fala de Barbosa rendeu, ainda, convite da assessora de Uczai ao Comitê para audiência aberta (e única no Estado) com o relator do PL 8035/10, o deputado federal paranaense Angelo Vanhoni. É nesta sexta-feira, dia 15, a partir das 8:30, no auditório do Tribunal de Justiça, em Florianópolis.

Considerações finais

Para o secretário Rodolfo Pinto da Luz é preciso mobilizar a sociedade pelos 10% do PIB para ampliar e melhorar o acesso à educação brasileira, em todos os níveis. “Precisamos de professores motivados e valorizados, dar um salto e não um pulinho na educação, uma verdadeira revolução educacional para combater déficits históricos, o que exige financiamento mais substancial dentro das metas de erradicar o analfabetismo, fazer a universalização do atendimento escolar e superar as desigualdades sociais, econômicas e culturais. Ele defendeu, ainda, 100% e não 50% da aplicação do fundo social do Pré-Sal e a aprovação da Lei da Responsabilidade Educacional, em discussão no Congresso Nacional.

Dilvo Ristoff, que já trabalhou no MEC, disse muitas coisas de manhã e à tarde (como a defesa dos 10%). A apesar de elogiar muitas ações do PNE, enfatizou que é hora de “colocar o recurso ao lado do discurso” e ter o professor numa carreira nacional e como “pedra principal que sustenta a ponte”, desde que com equidade. “Temos uma pós-graduação em 12º. no mundo e uma educação básica em 50º lugar, uma esquizofrenia do sistema. Como tudo no Brasil começamos pelo topo e não pela base”, completou. Para ele, vivemos um “momento de grande improviso, escancarado, com grande defasagem nas licenciaturas”. Mostrou várias tabelas oficiais provando que em todas as regiões brasileiras há carência de profissionais com formação específica para lecionar, citando especialmente Língua Portuguesa (que em 25 anos formou 192 mil, dos quais restam apenas 108 mil em exercício e onde ainda faltam 145 mil em sala de aula), Física (tem 18 mil, mas carece de 56 mil), Química (precisa de 90 mil) Filosofia (obrigatória pelo MEC, ainda carece de 60 mil), e Matemática (60 mil licenciados, mas faltam 108 mil). Ele pergunta: “é possível criarmos um País avançado em ciência e tecnologia se nossos alunos estudam com professores improvisados?”. Ele elogiou a professora Giceli por coordenar o PIBID na FURB, apesar de considerar “uma gota no oceano” e também criticou o precário acesso a cursos superiores, como Medicina, dos alunos oriundos do ensino médio público, que não chegam a 10%. Na UFFS o acesso é garantido meio a meio, disse Ristoff. E ainda sobre metas para o ensino superior, lembrou que antes buscavam atingir 30% de alunos entre 18 e 24 anos e 40% de matriculados oriundos do ensino médio público “mas fracassamos”.

Na net

Tem muita informação na internet sobre o PNE. Vale acessar o site da Undime e da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, movimento social que esteve representado na contundente fala do professor Vilmar Klemann, de Indaial, também integrante do Fórum Catarinense de Educação Infantil, que defendeu “um Plano de Estado e não de governo”. Ele sugeriu abrir a página da Campanha e do PNE prá valer.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

DC abre manchete para inventário florestal


Inventário florístico florestal de Santa Catarina, realizado durante quatro anos por professores e alunos da FURB, UFSC e EPAGRI ganhou hoje a manchete de capa (clique sobre imagem escaneada) e duas páginas do Diário Catarinense. Aqui.  E mais: 2) Estudo facilitará preservação; 3) Região menos afetada é a de Blumenau.  4) Desenvolvimento que castiga o oeste.

Consuni avalia Divisão de Apoio à Cultura


Ao abrir Fitub, sexta-feira, o reitor João Natel (clique sobre a foto de Daniel Zimmermann) anunciou a continuidade do Festival, buscando apoio externo, e a criação da Divisão de Apoio à Cultura, ligada à Propex.

Na solenidade de abertura da 24ª edição de Festival Internacional de Teatro Universitário de Blumenau, que a FURB realiza de 8 a 16 de julho, o reitor João Natel Pollonio Machado convidou a todos para a 25ª edição do festival, em 2012. “A arte é o componente de humanidade que necessitamos em nossos currículos e em nosso cotidiano”, disse Natel, acrescentando: “Por isso vamos manter este festival anualmente”.

Ele também afirmou ter enviado ao Conselho Universitário proposta de alteração do artigo 52 do Estatuto da FURB, acrescentando à estrutura da Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão a Divisão de Apoio à Cultura. “Entendemos a cultura com parte da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão que cabe à Universidade” ressaltou o reitor. (Alessandra Meinicke/CCM).

IES devem 500 mi de IR

Cacau Menezes alerta para cerco iminente da Receita Federal às IES da Acafe que devem R$ 500 milhões de imposto de renda. Na nota Cuidado.
Procurador geral César Wolff informou ao colega Formiga que a FURB é a única fora do caso por ser pública e, mais que isso, de direito público.

Vestibular sob investigação

Inquérito do Ministério Público apura suspeita de fraude no Vestibular da Acafe.

Prainha reocupada


Cidade reocupa
a Prainha. Professor
Ricardo Machado
prega vivência
nos espaços urbanos.

Não deu

Blumenau perde para Metodista. Próximo jogo pela Liga só dia 21, no SESI.

Nova parceria com Suécia

CRI FURB busca parceiros para novo intercâmbio, na área têxtil, com a Suécia.

obs: para ler demais notas do blog abra o link "postagens mais antigas".

Federal na Câmara e PNE amanhã

Folha de Blumenau destaca a fala de Clóvis Reis, na Câmara, em nome da federalização. O excelente discurso de improviso consumiu mais de 10 minutos. Agradou aos vereadores e ao blog, que acompanhou pela TV Legislativa (TVL).

Na sua coluna no Santa, o professor da FURB faz link entre a federal e o seminário PNE, que deve lotar o auditório da Uniasselvi, amanhã. A rica programação está postada abaixo. Aproveite. Prestigie. Como pedem os convites da Proen. 

Parque da Unesc

Parque da Unesc vai reunir ciência e tecnologia de cinco institutos. No DC de hoje.

Cursos da Católica de SC

Joinville conhecerá hoje os cursos de graduação da Católica de SC. AN de hoje.

Festa nos 60 anos da CAPES

Presidenta Dilma e ministro Haddad na solenidade, hoje, de 60 anos da Capes - que premiará reitor Alvaro Prata. Na coluna do Prisco, no AN - nota Condecoração

Eduardo e a greve

“Greve é um direito, mas este não era o caso”, diz ex-reitor da FURB ao Santa.

Paixão pelos bichos


Caderno Viver, no Santa dominical:
a rotina da paixão
pelos bichos – Zelinda, uma
das entrevistadas, na foto
está com jaleco da FURB.

Após abrir o link acima,
volte o cursor para
ler as demais matérias.

100 mi para biodiesel

Usina de biodiesel de R$ 100 milhões começa a ser construída no Estado. No DC.

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Debate sobre o PNE


Seminário discute, terça-feira, dia 12/7, o Plano Nacional de Educação, no auditório da Uniasselvi, em Blumenau (rua Dr. Pedro Zimmermann,385, Salto do Norte), a partir das 8 horas. Veja a programação, disponibilizada há pouco pela assessoria do deputado Pedro Uczai, que inclui a participação de professores da FURB:

 08:00 Credenciamento

08:30 Abertura

09:00 Eixo Temático: Financiamento

Palestrante: Representante do Ministério da Educação

Debatedor: Comissão de Educação da Câmara dos Deputados

10:00 Eixo Temático: Qualidade na Educação -
Formação inicial e continuada e valorização dos profissionais da Educação

Palestrante: Cesar Callegari - Conselho Nacional de Educação

Debatedor: Deputado Estadual Carlos Chiodini - Presidente da Comissão de Educação da ALESC.

Coordenação: Prfª. Dr. Giceli Maria Cervi – FURB;

13:30 Mesas Temáticas:

Ensino Superior

Palestrante: Dilvo Ristoff – UFSC

Debatedor: Valmor Schiochet;

Coordenação: Ms. Marilene de Lima Körting Schramm – FURB

Educação Infantil

Debatedor: Vilmar Klemann – Fórum Catarinense de Educação Infantil/MIEIB/ Campanha Nacional Pelo Direito à Educação;

Coordenação: Prof. Ms.Osmar Mattiola - Secretário de Educação de Blumenau;

Ensino Médio e Educação Profissional

Palestrante: Representante do IF-SC

Debatedores: Profª. Maike Cristine K. Ricci - Gerente do Ensino Médio e Profissionalizante; Coordenação: GERED - Blumenau;

Educação Básica

Palestrante: Prof. Dr. Isaac Ferreira – Secretaria de Estado da Educação;

Coordenação: Profª. Ms. Claudia Renate Ferreira;

Diversidade/Educação Inclusiva

Palestrante: Prof. Dr. Vilmar Silva – Diretor Unidade Palhoça – IF-SC

Debatedora: Profª. Andreia Martini Pilatti;

Coordenação: Rosana Crestani – Coordenadora da Educação Especial de Gaspar;

16:00 A importância do PNE para a Educação Brasileira

Palestrante: Dep. Federal Pedro Uczai (titular da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados)

Fitub nas manchetes


Santa concede capas (principal/digital/Lazer) e mais quatro páginas internas para FITUB, que abre hoje.

O melhor do Fitub
Prestigiar o que é produzido fora.
Fidelidade ao estilo universitário.
Divisor de águas teatral.
Vida e a inspiração em Leminski.
Ser assistido por diferentes espectadores.
Blog do Lazer promete cobertura completa.

RBS TV e RIC Record garantem espaços, ao meio-dia, para Pita Belli divulgar toda programação.

Folha Digital: Blumenau abre as portas para o teatro universitário.

Carlos Tonet, sem medo de pedradas, desaconselha ir ao Fitub.

Dá-lhe handebol!

Liga Nacional de handebol: FURB vence Santo André. Domingo encara Metodista,11h, no SESI.

No juvenil, nossa equipe feminina venceu na fase final handebol estadual. Santa e Folha de Blumenau.

Leia, ainda,  relise do jornalista Giovani Vitória sobre ontem à noite:

O handebol feminino de Blumenau (Blumenau/Furb/Foz do Brasil) venceu Santo André por 28 a 24 ( 13 a 11 no primeiro tempo), em partida válida pela quinta rodada da Liga Nacional e disputada na noite de quinta-feira, no ginásio do Complexo Esportivo do SESI. Apesar da baixa temperatura, próxima de 9 graus, a torcida compareceu em grande número, na estreia da blumenauense Ana Amorim, após 10 anos atuando em times do Brasil e do exterior. Aline Pará foi o outro reforço do time em quadra.
Foi a terceira vitória de Blumenau na competição, em cinco disputadas pela Liga Nacional. O grupo comandando por Sérgio Graciano tem ainda uma derrota e um empate, somando sete pontos na competição.
Foi um jogo equilibrado, conforme previa Graciano. O equilíbrio no placar do primeiro tempo, com apenas dois gols de vantagem em favor de Blumenau só mudou após 10 minutos de partida na etapa final, chegando a abrir seis gols de vantagem.
As armadoras Day (Blumenau) e Fernanda (Santo André) foram as artilheiras da noite com seis gols. A estreante Ana Amorim marcou quatro gols e fez sete assistências.
O próximo compromisso do handebol feminino de Blumenau será neste domingo, dia 10 de julho, às 11h30min, também no SESI, contra a Metodista/São Bernardo – revivendo as finais das últimas cinco edições da Liga Nacional. A entrada é franca e haverá sorteio de brindes para o torcedor.

Vale na prova da OAB

Prova da OAB: Vale fica abaixo da média nacional, informa o Santa.

FURB ficou acima. Os piores rendimentos.

Famoso jurista Ives Gandra defende educação a distância para melhorar cursos de Direito.

PUC e IBM

PUC e IBM Brasil assinam, em Joinville, convênio para formação profissional. 

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Zero na OAB

De 90 faculdades sem aprovados na OAB só 16 têm avaliação do MEC. No portal Último Segundo.

Novo diretor na Biblioteca

O reitor João Natel empossa, amanhã às 16 horas, o novo diretor da Biblioteca da FURB.

O servidor Darlan Jevaer Schmitt, que hoje defende dissertação de mestrado, na Capital, assume no lugar de Gelci Rostirolla, no cargo desde 28 de outubro de 2010.

As duas portarias estão na Intranet.

Federal sobe em Brasília


Aprovada ontem a emenda de Edinho Bez, na Câmara dos Deputados. Notas no Santa e DC.

Professor António Chivanga, pró-reitor de Ensino, esteve hoje na rádio CBN. Questionado por Celso Pereira, explicou em que pé está o encaminhamento do projeto ao MEC, que exigirá a construção de uma agenda com o Ministério, apoiada especialmente por prefeitos, vereadores, deputados, senadores, governador, conferindo peso político à reivindicação da sociedade pela terceira federal de SC.

A viabilidade está mais que comprovada. Mas o que vai definir mesmo é a efetiva pressão do Vale do Itajaí sobre o ministro da Educação, Fernando Haddad (foto), que nos incumbiu das tarefas de levantar os documentos jurídico, financeiro e institucional, que consumiram quase R$ 200 mil da FURB, em quatro meses, pois as emendas Décio Lima e Cláudio Vignatti ("restos a pagar"), ainda não foram liberadas pela governo Dilma.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Cultura em alta


Santa: Editorial (Cultura em alta) e Lazer (tradição circense no Fitub);

A história do teatro em Blumenau é tema de pesquisa (no sítio do TCG).

Federal por toda SC

Foto de Rafaela Martins (JSC) do seminário ontem na FURB.

FURB Federal rende hoje mais uma página caprichada do Diário Catarinense e fotolegenda no Santa. Confira o mapa das federais em SC.

Urgência para ensino técnico

Programa Nacional do Ensino Técnico tramita com urgência em Brasília, como deseja a Presidenta e com apoio local. Na coluna do Prisco Paraíso, em A Notícia.  

Ana e Duda

Foto de Artur Moser/JSC

Torcida família no handebol: uma página com Ana e Duda (Santa).

Decepção com Brasíla

Reitores da Acafe saem decepcionados da audiência no Planalto para tratar do IR. Esperidião Amin propõe greve de votos no Congresso.
Na coluna do Roberto Azevedo, Informe Político (DC).

terça-feira, 5 de julho de 2011

Mobilização para sensibilizar o MEC

Um bom público prestigiou o seminário na Biblioteca.

Ao término do terceiro seminário de apresentação do projeto FURB Federal e do acolhimento de contribuições finais, hoje ao meio-dia no auditório da Biblioteca, os membros do Grupo de Trabalho Institucional e do INPEAU/UFSC, não apresentaram nada de novo.

Mas fizeram questão de destacar que o documento a ser protocolado no MEC, em 60 dias, está bem encaminhado para atender todas as exigências iniciais manifestadas pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, preocupado com a viabilidade jurídica, financeira e institucional do projeto que já tramita nas comissões da Câmara Federal.

Como a idéia principal é que o documento sensibilize o governo federal pela criação da Universidade Federal do Vale do Itajaí (UFVI), incorporando a FURB (patrimônio, alunos e servidores, estes últimos pela cedência - por já serem servidores municipais) a prioridade número 1 agora é construir uma agenda de peso com o governo Dilma, bem apoiada pela comunidade e pela classe política, incluindo o governador Raimundo Colombo, que empreste  apoio concreto ao movimento criado pela comunidade.  

"Precisamos dessa mobilização para sinalizar a Brasília que nossa reinvidicação está muito bem alicerçada e não é extemporânea", disse o professor Pedro Melo, diretor do Instituto de Pesquisas e Estudos em Administração Universitária (INPEAU), vinculado à UFSC, que também deu suporte à fundação da Universidade Federal da Fronteira Sul.  

Vinte e dois professores da FURB e do INPEAU sistematizaram a informações da realidade educacional, cultural, histórica, econômica e social do Vale  e da inserção da Universidade na região nestes 47 anos. "São diretrizes que justificam a necessidade de se instalar aqui uma federal para dar conta do desenvolvimento da região, através não só do ensino, mas principalmente fortalecendo a pesquisa e a extensão com recursos federais", afirmou o professor Clóvis Reis, coordenador do comitê pela federalização.

"Queremos que a FURB seja a Universidade Federal. Não há dúvida sobre a capacidade gerencial, de estrutura e o potencial humano da universidade para atender aos anseios da comunidade, pois se fica demonstrada a capacidade de pesquisa da FURB evidencia-se a capacidade da extensão comunitária", disse Mello. E acrescentou: "a base para todo desenvolvimento é a pesquisa. Como exemplo, podemos citar a UFSC, considerada a terceira melhor federal do País e quarta da América Latina, que administra um orçamento de quase R$ 1,5 bilhão, por desenvolver pesquisa de qualidade".

Para o pró-reitor de Ensino de Graduação, António Chivanga, a palavra fundamental agora é  mobilização.  "Cada um de nós deve mobilizar seus representantes políticos para sejam parceiros do projeto de federalização da FURB. O documento é uma referência importante, mas devemos sensibilizar o MEC para aprová-lo e assim dar o seu encaminhamento nos estudos de dotar a nossa região da federal, a partir da FURB, que é uma reivindicação da comunidade desde a fundação da Universidade, em 1964".

Professores Rita Buzzi, Alexandre,
Júlio, Pedro, Chivanga e Clóvis, do GT.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Santa: Por que merecemos a Federal


Manchete de capa do Santa e Editorial: 10 razões para lutar pela Federal do Vale. Muito boa a matéria. Leia com gosto.

E mais outras notícias:

Preços: inflação no semestre vai cair, destaca o JSC, com relise sobre IVGP FURB.


Graduada em Ciências Contábeis assume comando do shopping Neumarkt.

Baseado no Ceops/FURB, Santa dedica duas páginas ao frio do Vale.

Ingressos antecipados

Começa hoje a venda antecipada de ingressos para o Fitub. Santa.

Guia Europeu caprichou na divulgação do nosso Festival de Teatro.

Campeã

 Equipe brasileira de handebol, com duas blumenauenses, conquista Pan Americano. Na capa da Folha Digital de hoje.

Mestrado

Pancho divulga inscrição para o mestrado em Ciências Contábeis. No Santa.

Estátua

Jornalista Carlos Tonet defende estátua para ex-reitor da FURB Eduardo Deschamps por conta da negociação com professores grevistas. Na sua coluna na Folha de Blumenau.

Novo código penal

Código Penal: as mudanças valem a partir de hoje, destaca imprensa.

Fim do vestibular

Clóvis Reis analisa fim do vestibular na UFRJ e vê perspectivas positivas.

Geração Y é imediatista

Comportamento - Gerações Y e Z, escreve professor Jorge Scarpin na Folha de Blumenau.

Empresas ainda patinam na retenção da geração Y, informa a Folha de S. Paulo.

BRUNA BORGES, COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

A geração Y começa a invadir as empresas. Mas as corporações ainda patinam quando a tarefa é reter esses profissionais de até 33 anos.
É o que afirmam especialistas da área de recursos humanos e gestores de dez grandes empresas no Brasil consultados pela Folha.
"A geração Y é mais imediatista do que as demais, e as empresas ainda estão aprendendo a segurar os melhores", diz Rodrigo Vianna, diretor da consultoria Hays.
Diferentemente das gerações anteriores, salários altos não bastam para reter jovens como Sandra Mancini, 25, que trocou de emprego em janeiro deste ano.
A analista de informação deixou o trabalho de três anos em uma das maiores consultorias de gestão no mundo e migrou para a Natura, de higiene pessoal.
"A consultoria é excelente, oferecia salários e bônus bastante agressivos e eu estava envolvida com projetos por lá. Mas optei por buscar novos desafios e ambiente estimulante de trabalho", conta.
Mais do que remuneração diferenciada, jovens como ela precisam de desafios para sentirem-se parte da corporação, avaliam consultores.
"Ainda existe uma estrutura muito hierarquizada na progressão da carreira dentro das corporações, e o jovem profissional percebe que pode demorar muito para evoluir para cargos mais altos", explica Thaís Blanco, consultora da Aon Hewitt.