segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Convênio de análise de combustíveis ainda não foi renovado


O blog resgata uma matéria veiculada semana passada, pelo Jornal do Almoço de Blumenau. Nela, a reportagem anuncia aumentos de combustíveis e questiona sobre a qualidade dos combustíveis comercializados nos postos. A FURB realizava, até maio, essa fiscalização de eventual adulteração, no campus 2, como mostra a matéria. O convênio ainda não foi renovado. 

Veja aqui a matéria de 6 minutos.

Tenfen é finalista do Jabuti


Kelner explica ações do Centro Judiciário de Solução de Conflitos



Coordenadora do Núcleo de Prática Jurídica da FURB, a professora Lenice Kelner (foto), foi entrevistada pela manhã, na rádio Nereu Ramos, sobre a instalação do Centro Judiciário de Solução de Conflitos, noticiado na página da FURB em 16 de julho.

Alunos administrarão pizzaria por um dia

Nota está na coluna do Pancho (JSC), hoje.

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Roselane é derrotada na UFSC

A reitora Roselane Neckel, que negou a parceria UFSC/FURB, não vai para o segundo turno, em 11 de novembro. Sofreu uma "derrota acachapante", segundo o comentário do jornalista Moacir Pereira . Leia também a matéria do Diário Catarinense.

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Jornalismo FURB em nova sede

O setor de Jornalismo da FURB, vinculado ao Gabinete da Reitoria, está de casa nova, desde ontem.


Assim como os demais setores que estão desocupando o bloco M, como medida de economia do aluguel do prédio do supermercado Giassi, agora atendemos a Universidade, a imprensa (rádios, TVs, jornais, blogs) e produzimos os textos nas dependências da FURB TV, aproximando-nos fisicamente dos profissionais de comunicação do bloco R e dos alunos de Jornalismo.

Os jornalistas Aristheu Formiga, Giovana Pietrzacka e Michel Imme Sabbagh permanecem com os mesmos ramais (442, 679 e 433 respectivamente), assim como o endereço eletrônico noticias@furb.br. 

Demais setores

Esta semana a CCM conclui sua instalação no bloco F e a Procuradoria Geral (Progef) prepara-se para ocupar um espaço no Bloco L (em frente à rua São Paulo). 

A Coplan ainda está definindo sua próxima sede. 

Em disputa hoje as reitorias da UFSC e da Udesc


Podem votar na UFSC (foto) 39 mil pessoas, entre alunos e servidores, com o mesmo peso dos votos. Acompanhe matéria completa e links do Diário Catarinense e na coluna de Moacir Pereira.

A Udesc também elege hoje o novo reitor.

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Santa cogita candidatos à prefeitura de Blumenau

O Jornal de Santa Catarina

traz, hoje, matéria do
jornalista político Upiara Boschi,
de Florianópolis, que inclui
o reitor da FURB, João Natel,
entre os pré-candidatos
a prefeito de Blumenau em 2016.

(clique nas imagens)








terça-feira, 6 de outubro de 2015

Pela RBS, professores dão dicas de reorganização financeira

Imagem extraída do vídeo do Jornal do Almoço.

O Jornal do Almoço da RBS veiculou, ontem, uma longa reportagem (8:34) em que boa parte das imagens foi realizada na FURB, mais especificamente no Centro de Ciências Sociais Aplicadas. Dois professores do Departamento de Economia, Sidney Silva e Bruno Tomio, orientaram um casal a reorganizar suas finanças, dentro do programa de extensão "Cuidando do meu dinheiro", lançado este ano e que tem conseguido excelente repercussão.


Acompanhe o vídeo e, ainda, leia a matéria da própria emissora divulgando a reportagem e citando a FURB, aqui.

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Reitoria abre finanças e propõe férias coletivas em janeiro


As reuniões agendadas pela Reitoria para dialogar sobre a situação financeira da FURB, o recesso de dezembro e a proposta de férias coletivas em janeiro de 2016 lotaram os auditórios do campus 1 (no bloco J e na Biblioteca, quinta à tarde e hoje pela manhã, respectivamente). Até o dia 13 de outubro os encontros com os demais técnico-administrativos vão ocorrer nos campus 2, 3 e 5 (cronograma abaixo).

O reitor João Natel e o  vice-reitor Udo Schroeder estão fazendo as explanações e respondendo as dúvidas. Basicamente, apresentam a análise de receitas e despesas até agosto de 2015 (até aqui equilibradas, pois a receita mensal ainda é maior) e discutem cenários futuros (e preocupantes) buscando a sustentabilidade financeira da FURB. 

O maior gargalo, o maior problema financeiro da FURB, é lidar com os repasses atuais e futuros do FIES pela União em 2015, ou seja, uma inadimplência de R$ 32 milhões (já foram repassados R$ 8 milhões, este ano). 

O que complica é que  o valor de R$ 13 milhões (relativo ao primeiro semestre) ainda não está na conta da instituição (apesar do que foi publicado, erroneamente, na imprensa). O ponto positivo, segundo Schroeder, é que já foram lançados os títulos dessa operação. Tanto ele como o prof. Natel acreditam que a União vai honrar os contratos de 2015, em que pese os constantes adiamentos, a desinformação e a insegurança.

Também adiantam que será preciso economizar mais e fazer urgente novos ajustes na estrutura da FURB, apesar dos enxugamentos (desde março) e das últimas medidas administrativas. Até porque, num cenário extremo, se o repasse de R$ 13 milhões do FIES não entrar na conta, haverá problema de fluxo de caixa, o que poderia afetar a folha de pagamento ano que vem, por exemplo e, claro, o repasse da inflação aos salários, em março. Outro dado importante é que a folha tem sido quitada com uma parte da reserva do 13. salário (ainda sem liberação da primeira parcela), em função dos obstáculos à Universidade para financiamento bancário. 

-- Mas acreditamos nos repasses de 2015, pois esse é um problema nacional - as grandes instituições privadas, inclusive, estão fazendo uma pressão gigantesca para receberem o FIES e também saírem do sufoco financeiro", disse Natel. 

A redução da dependência do FIES, algo almejado pela administração a esta altura, também já vem ocorrendo na FURB. Hoje o FIES ocupa 30% da receita da graduação (índice que subiu dos históricos 10% devido à facilitação e promessas de financiamento pela própria União). Mas o violento recuo nas verbas do MEC (por causa da crise federal) e a adoção de um FIES seletivo (em especial para aqueles cursos com notas mais altas, como Secretariado - 5, na FURB), refletiu com a contemplação de apenas 70 alunos das 600 vagas solicitadas pela nossa universidade para este semestre. 

-- Enfim, vamos ter que discutir como preparar a FURB no futuro para não depender tanto de verbas públicas, inclusive do artigo 170, pois o próprio governo do estado está com problemas", afirmou o reitor. 

Em que pese os cenários apresentados, o discurso é no sentido socializar as informações e defender a viabilidade das receitas da FURB (inclusive a única dívida que preocupava, a patronal com o ISSBLU, de R$ 5 milhões, está negociada, via refis), e apostar nas potencialidades da Universidade. 

Entre os planos anunciados, estão mais economia de todos os gastos e a arrumação de toda estrutura organizacional da Universidade (por exemplo, dando sequência à proposta de extinção dos departamentos, considerados redundantes, aplicando o foco nos cursos, como reza a nova resolução do MEC), resgatar a receita de serviços (que caiu de 20 para 4%); aumentar o número de especializações próprias, entre outras. "Precisamos arrumar a FURB pela qualidade dos seus cursos", adianta Natel.

Como ponto final da conversa, a Reitoria apresentou as propostas de adotar o período de recesso até o final do ano (18/12 a 02/01) e férias coletivas em janeiro de 2016 (a partir do dia 4), por ser um mês parado na FURB que gera despesas que precisam ser cortadas (só com energia são R$ 350/400 mil). O prazo dessas férias coletivas poderá ser 30, 20 ou 10 dias, nada está fechado. Todas essas ideias estão abertas para proposta dos servidores (a serem encaminhadas à DGDP) e à negociação com o Sinsepes. São propostas pensando "no bem estar dos servidores (mais descanso, que pode chegar no total a 45 dias entre recesso e férias) e na sustentabilidade financeira". 

Outro ponto abordado foi o polêmico abono pecuniário. É um direito, mas na ótica da administração, "levando-se em conta a saúde do servidor", as férias devem ser gozadas. 

A justificativa para reuniões exclusivas com os TAs é a de que havia a necessidade de socializar com mais efetividade as informações dessas pautas, já disponíveis para os docentes através dos centros e do Consuni. 

Este texto não dá conta de informar com detalhes todos os cenários apresentados  nas planilhas e nas discussões de quase três horas. Mas é uma contribuição do Blog da FURB para ampliar a reflexão e o debate. Segue o cronograma das reuniões, divulgado por e-mail,com um alteração:


Data
Dia da semana
horário
Local
Campus
1/10/2015
Quinta-feira
14:30
Auditório Bloco J
1
2/10/2015
Sexta-feira
9:00
Auditório Biblioteca
1
* 6/10/2015
Terça-feira
14:00
Sala-D-312
  2 (mudou pro dia 13)
7/10/2015
Quarta-feira
8:30
Sala-D-412
2
9/10/2015
Sexta-feira
9:00
Sala-B-204
3
9/10/2015
Sexta-feira
12:00
Sala-02 na Policlínica
5
* 13/10/2015
Terça-feira
14:00
Sala D-312
2